Rio Doce Terra
                                                 
Atualizado em: 11/08/2017 às 15:42 horas                              

# Rosário de contas

 


Te amar foi catar contas
para emendar um rosário
que unida umas às outras
em fio roto, não em elos,
tinham espaços definidos
entre si, ordenadas
cada conta uma oração.

Te perder foi arrebentar o fio
espalhar as contas em desalinho
misturar as rezas, inverter a ladainha.
Nas mãos, o fio arrebentado,
nunca as contas se enfileiram
se espalham por toda a casa
nos armários, nas gavetas,
invadem todos os espaços
dos caminhos do meu corpo,
terríveis contas de lágrimas
como se fossem perdição.

Te esquecer é reunir as contas
para outra ladainha.