Rio Doce Terra
                                                 
Atualizado em: 22/03/2017 às 11:07 horas                              

# Chuva

Juninho Lobo

Como podemos definir  chuva ?
Nada mais é do que o vapor que se desprendeu do planeta e condensou em virtude de encontrar uma camada fria lá nas alturas e retornou ao solo em forma líquida.
Erroneamente como muitos acreditam,  a água do planeta não está acabando, aliás, a água não some e nem acaba.  Simplesmente pelo desequilíbrio ambiental causado pelo homem no planeta como um todo, este processo de evaporação e condensação também se desequilibrou , ficando por exemplo um grande período sem chuvas e quando elas ocorrem , tem acontecido em quantidades absurdas,  provocando assim  grandes tragédias que todos nós conhecemos .

A unidade de medida de chuva normalmente é mm(milímetros) ou litros de água por metro quadrado. Quando ouvimos ou lemos que choveu 50mm em um determinado local, significa que choveu 50 litros de água em cada metro quadrado de solo “num período de 24 horas por exemplo” , o que seria a precipitação diária.
Aproximadamente em nosso estado e região, chove em média 1500 mm anuais. Este  ano de 2012 em Rio Doce tivemos somente 957 mm  de chuva . Acredito que foi o ano que menos choveu nas últimas três décadas , isso é preocupante, pois , foi um ano muito quente e que logicamente teve uma evaporação muito  alta . Logo podemos deduzir que existe uma enorme quantidade de água armazenada em camadas  superiores da atmosfera e que vai cair mais cedo ou mais tarde . Portanto esse período de janeiro de 2013 até março, é uma época provável de acontecer muitas enchentes em virtude dos fatores climáticos dos últimos 6 meses de 2012 .


Comportamento da água no solo

O solo é formado basicamente de três tipos de partículas : Argila que é a porção de granulometria menor do solo , silte que são partículas de tamanho intermediário e areia que são partículas maiores . Quando temos um solo constituído por grande parte da fração areia, dizemos que temos um solo arenoso e que retém pouca água em virtude do grande tamanho dos  espaço entre as partículas, o tornando poroso demais, fator este  que favorece a drenagem do solo . Quando temos um terreno argiloso, significa que a porção argila é a predominante e a capacidade de retenção de água do mesmo também é grande, pois nele existem pequenos espaços entre as partículas, mas em grande quantidade e  isso favorece a retenção da água o tornando um solo pouco drenável e até alagadiço. Portanto quanto menor o tamanho dos poros entre as partículas, maior sua capacidade de retenção  e com mais força a água é retida nele.


Partindo deste princípio , quando temos uma chuva forte e rápida , o solo independentemente de qual tipo seja, não consegue absorver toda a água e disponibiliza-la lentamente às plantas. Portanto ele absorve uma parte e a outra que ele não consegue absorver, pois os poros entre as partículas já estão cheios, dizemos que a água “ percola”, ou seja , ela é drenada para camadas profundas onde às plantas não conseguem absorve-las , e ainda uma terceira parte dessa água da chuva, também se perde através de erosão laminar (enxurrada),levando consigo a camada mais fértil do solo que é os primeiros cinco centímetros superficiais , rica em matéria orgânica , entupindo o leito dos rios e córregos provocando o que chamamos de assoreamento .
Concluímos então que chuva boa, é aquela amena e lenta, onde quase que toda água precipitada é utilizada pelo solo e pelas plantas com muita eficiência e sem provocar danos no meio ambiente .

Só para encerrarmos  o raciocínio, quando na agricultura utilizamos de irrigação, que nada mais é que uma chuva artificial, temos o objetivo de aplicar uma lâmina ideal de água , num período ideal de tempo , para um tipo específico de solo e sem provocar danos ao meio ambiente . Portanto, teoricamente a irrigação é mais benéfica à agricultura e ao meio ambiente do que a chuva natural, pois a quantidade de água aplicada é matematicamente e minuciosamente calculada  diferentemente das chuvas “de São Pedro”.