Rio Doce Terra
                                                 
Atualizado em: 16/10/2017 às 15:42 horas                              

# Cadê (J.A.Barreto)


Cadê a Lua?
não o satélite,
mas a morada de São Jorge e do dragão?

Cadê Marte?
Não o de intrusas sondas e talvez colônias,
Mas o vermelho, misterioso e cheio de canais?

Cadê as nuvens?
Não cúmulos, cirros e nimbos,
Mas as que formavam desenhos de bichos e anjos nos ares?

Cadê o Sítio do Picapau Amarelo?
Não o da televisão,
Mas o do pó de pirlimpimpim e dos transplantes de pernas em minhocas, deixando noventaequatropeias?

Cadê dona Benta e tia Nastácia?
Não discutindo raças e racistas e cotistas,
Mas se o almoço era com frango ou se com lombo?


Cadê os missionários?
não os dos galpões improvisados, na disputa por fiéis e por moedas,
mas os que brincavam na rua com  crianças ?

Cadê o trem-de-ferro?
não o trem-bala da Alemanha ou do Japão,
mas o meu, da Leopoldina, barulhento e  cheio de fumaça?

Cadê o menino que eu fui e que prefiro ser?

Ah!  minha Lua com São Jorge...
Que falta você me faz!

Belzonte, 7 de março de 2015,
Feliz pela entrega à população de Rio Doce, nesta data, da estação ferroviária restaurada.