Rio Doce Terra

# Pompeia

Juninho Lobo

Pompeia foi uma cidade do império romano situada a 22 km de Nápoles na Itália que foi  arrasada pela erupção do vulcão Vesúvio matando 16000 dos 20.000 habitantes que possuía .Devido ao fluxo de lavas vulcânicas e cinzas, as temperaturas no local chegaram a 700ºC .


Além da erupção de 23 de novembro do ano de 79 que marcou a tragédia em Pompeia, terremotos também antecederam a atividade do vulcão que entrou em atividade pela última vez em 1944 .

Segundo pesquisadores a tragédia de 79 durou 2 dias. Pompéia recebeu 12 camadas de piroclasto com 25 metros de espessura em apenas 6 horas de atividade do vulcão.

Após grossas camadas de cinzas e material vulcânico encobrir Pompeia e arredores, a cidade foi abandonada e esquecida, sendo descoberta somente em 1599 anos depois , quando um canal que estava sendo feito para desviar o rio Sarno , encontrou muros cobertos de inscrições e pinturas inclusive de conteúdo erótico.

Portanto em 1748 Pompeia foi intencionalmente redescoberta e escavada  sob o comando do engenheiro militar espanhol Rocque Joaquin de Alcubierre  .

Além de Pompeia o Vesúvio atingiu também as cidades de Herculano e Nuceria.

Porque tanta gente morreu em Pompeia?

As erupções vulcânicas raramente matam muita gente, porque as pessoas fogem ao ver a lava chegando. O que então aconteceu em Pompéia? Por que as pessoas não fugiram? Estudos científicos comprovam que essa erupção foi de um tipo muito incomum. Não houve rios de lavas descendo a montanha num primeiro momento e as pessoas simplesmente não tiveram noção do perigo. O que aconteceu em Pompéia no início da erupção foi uma chuva de pedras pomes, inicialmente relativamente pequenas e leves e de pó dessa mesma pedra.

Isso fez com que a população de Pompéia procurasse abrigo em suas casas ou na casa de amigos, cobrindo a cabeça com almofadas ou qualquer coisa que os protegesse, mas não tentou abandonar imediatamente a cidade. Ou seja, a mesma reação que temos frente a uma chuva de granizo: nos abrigamos esperando que passe. O crescente acúmulo do material sobre os telhados fez porém com que alguns tetos desabassem, provocando as primeiras mortes.

É claro que algumas pessoas foram atingidas por pedras maiores e morreram no ato, mas as pedras-pomes, sendo leves, não foram a causa da maioria dos óbitos. Estudos feitos em Pompéia por cientistas mostram que relativamente poucos corpos foram encontrados nas camadas mais baixas do material que cobriu a cidade. A posição dos corpos de seres humanos e animais, muitos com a boca aberta ou encolhidos, mostra que a grande maioria morreu sufocada, surpreendida por gases tóxicos e pela poeira escaldante que chegou bem depois, em ondas sucessivas.

Os corpos em Pompéia foram quase sempre encontrados em cantos mais abrigados ou nas ruas, sobre as camadas mais altas de pedra-pome que foram soterrando a cidade, e não cobertos por lava, como temos a tendência de imaginar. Muita gente em Pompéia foi encontrada com as chaves de suas casas, jóias e outros pertences, mostrando que não houve num primeiro instante uma fuga precipitada. (Numa situação de total desespero ninguém se preocupa em trancar a porta da casa!).

Acredita-se que as cidades de Pompéia e Herculano representam apenas 1% da superfície coberta pela chuva de pedra, gases e pó dessa erupção. Até hoje encontram-se por toda região rural de Pompéia próxima ao Vesúvio corpos de vítimas da catástrofe do ano 79 d.C.