Rio Doce Terra

# Cachorro suicida

Juninho Lobo

Esta estória aconteceu na cidade de João Monlevade no início dos anos 80 .O meu ilustre e querido tio Hélio , me relatou esse “causo” que aconteceu com seu colega “Zé da fornalha” e seu cachorro “Dr. Vitrock” que  sucedeu da seguinte maneira.
     Chegando em casa, depois de trabalhar no turno da madrugada da Belgo Mineira , o amigo do tio Hélio se deparou com o seu cachorro numa choradeira danada. O bicho ficava amarrado  em um pé de goiaba no fundo do terreiro e só era solto à noite, a fim de que ele fizesse a vigilância da casa. Zé da Fornalha, supondo que o cachorro estava sentindo o odor de alguma cadela no cio, resolveu soltá-lo para dar umas paqueradas, pois o mesmo só tinha 1 ano de idade e ainda era virgem. Aí aconteceu a desgraça para Zé e seu cachorro. Dona Tereza, esposa do sô Zé, pediu-lhe que  fosse à padaria comprar algumas coisas. Como bom marido que era , o operador da fornalha resolveu atender o pedido de sua esposa e se mandou em busca de pão e leite.
      Pelo caminho, logo após um posto de gasolina, num terreno baldio, Zé da Fornalha se deparou com seu cão, que era temido por todos na vizinhança, fazendo sexo com um outro cachorro - “macho” – e, para desgraçar mais ainda a situação de homossexualidade de sua fera, o Dr. Vitrock estava sendo o passivo na estranha relação. Quando viu que  seu dono estava presenciando aquele ato depravado de homossexualidade  em plena luz do dia, o cachorro saiu em disparada do local e de tanta vergonha,  resolveu acabar com tudo: suicidou!...
É isso mesmo, pulou em uma cisterna de 6m de profundidade, que estava aberta, sem dar ao seu tutor qualquer satisfação ou condição de resgate .