Rio Doce Terra

# Rio Doce -Poesia

 

Em Rio Doce derramei meus versos
Tinha um anseio do reverso
Uma espécie de esperança sem nexo
Tentativa de reparar o mau do progresso

Minhas rimas... ah minhas rimas!
Eram como filetes de águas cristalinas
Que invadiam inúteis as lamas assassinas
E jamais voltaram a ser límpidas

Mas a poesia é a comunidade
E a comunidade é a vontade
De se ficar onde está
Não se render e não sair do lugar

A poesia é o tom claro
Que anula a cor do barro
Que determina o fim do embargo
E que mostra que o homem está errado

Minha poesia invadiu Rio Doce
E Rio Doce retribuiu com alegria
Minha rima se misturou com a cidade
Que agora habita em Cada Dia Uma Poesia